sexta-feira, 23 de novembro de 2012

TRADUTORES


.


Player Rybená
Player Rybená® permite tornar o seu sítio Internet acessível para a Comunidade Surda. Funcionando como um tradutor, auxilía na compreensão do conteúdo de textos em português. O Player Rybená® é capaz de converter qualquer página da Internet ou texto escrito em português para a Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS.

Com este recurso no seu sítio os usuários poderão selecionar com o mouse qualquer parte do texto do portal e ver a tradução em LIBRAS por intermédio de um simpático desenho animado.


Torpedo Rybená Torpedo Rybená® é um serviço de telefonia móvel que permite receber e enviar mensagens de texto na Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS.
Pessoas com deficiência auditiva poderão, através da animação de imagens no celular, se comunicar em LIBRAS, como também visualizar as mensagens recebidas em texto.

Ouvintes poderão enviar Torpedos Rybená®, que serão convertidos para LIBRAS, viabilizando, dessa forma, a comunicação através do uso de duas línguas (Português x LIBRAS).


Rybená AtendeO Atendimento Assistido Rybena® viabiliza a comunicação de qualquer pessoa com um portador de deficiência auditiva, através do uso da Língua Brasileira de Sinais.
A comunicação é realizada através de roteiros pré-configurados, que contêm as informações mais relevantes da sua organização.

Esses roteiros conterão uma série de informações organizadas em tópicos, que são interpretadas e apresentadas em LIBRAS.
Existe também o modo - apresentação - onde todo o roteiro é sinalizado na sua íntegra, de forma contínua.

Fonte: http://www.feneis.org.br/page/tradutores.asp

TESTE DA ORELHINHA


FATORES DE RISCO PARA A SURDEZ
 BEBÊ DE 0 A 28 DIAS


HISTÓRIA FAMILIAR - ter outros casos de surdez na família 
INFECÇÃO INTRAUTERINA - provocada por citomegalovírus, rubéola, sífilis, herpes genital ou toxoplasmose 
ANOMALIAS CRÂNIO-FACIAIS - deformações que afetam a orelha e/ou o canal auditivo (p.ex.: duto fechado) 
PESO INFERIOR A 1.500 GR AO NASCER 
HIPERBILIRUBINEMIA - doença que ocorre 24 horas depois do parto. O bebê fica todo amarelo por causa do aumento de uma substância chamada bilirubina. Ele precisa tomar banho de luz e fazer exosangüíneo transfusão 
MEDICAÇÃO OTOTÓXICAS - uso de antibióticos do tipo aminoclicosídeos que podem afetar o ouvido interno 
MENINGITE BACTERIANA - a surdez é umas das conseqüências possíveis quando o bebê tem este tipo de meningite 
NOTA APGA MENOR DO QUE 4 NO PRIMEIRO MINUTO DE NASCIDO E MENOR DO QUE 6 NO QUINTO MINUTO - Todo bebê quando nasce, recebe uma nota, composta por uma avaliação que inclui muitos fatores. Agpa era o nome do médico que inventou o teste. 
VETILAÇÃO MECÂNICA EM UTI NEONATAL POR MAIS DE 5 DIAS - quando o bebê teve que ficar entubado por não conseguir respirar sozinho 
OUTROS SINAIS FÍSICOS ASSOCIADOS À SÍNDROMES NEUROLÓGICAS - p.ex.: Síndrome de Down ou de Waldemburg

 Todo bebê está submetido a apresentar possíveis problemas auditivos ao nascer ou adquiri-los nos primeiros anos de vida. Com a finalidade de prevenir a deficiência auditiva ou até mesmo de remediar, no caso dos bebês que apresentam surdez congênita, foi criada a lei municipal nº. 3028, de 17 de maio de 2000. 
Tal lei se refere a um programa de triagem auditiva neonatal que tem como finalidade avaliar a audição em recém nascidos. Esse programa é eficaz no sentido de prevenção e cuidados auditivos, sendo indicado por instituições do mundo inteiro, visando o diagnóstico precoce de perda auditiva, uma vez que sua incidência, na população geral, é de 1 a 2 por 1000 nascidos vivos. 
Saiba questões importantes em relação a esse teste, como: 

Quando deve ser feito? 

Orienta-se realizar o teste da orelhinha, nos primeiros anos de vida do bebê (3 meses), detectando perdas precoces que possam influenciar no aprendizado da linguagem. Geralmente o exame é realizado no berçário em sono natural, de preferência no 2º ou 3º dia de vida. O tempo de duração varia entre 5 e 10 minutos, não tem qualquer contra-indicação, não acorda nem incomoda o bebê. Não exige nenhum tipo de intervenção invasiva (uso de agulhas ou qualquer objeto perfurante) e é absolutamente inócuo. A triagem auditiva é feita inicialmente através do exame de Emissões acústicas evocadas (código 51.01.039-9 AMB). 


Como marcar o teste? 

Procure clínicas que possuem médicos especializados em otorrinolaringologia e procure também o fonoaudiólogo, esses irão encaminhar e realizar o teste da orelhinha, respectivamente. 

Qual o método utilizado? 

O método mais utilizado para a triagem auditiva neonatal é o exame de Emissões Otoacústicas Evocadas (EOAs) de acordo com o código (51.01.039-9 AMB). 
Considerado bastante objetivo, este exame é indolor e de execução rápida, realizada durante o sono natural do bebê. 
Utiliza-se um fone na parte externa da orelha do bebê. Demora de 5 a 10 minutos e não tem qualquer contra-indicação, não acorda nem incomoda o bebê. 
O exame de EOAs baseia-se na produção de certo estímulo sonoro, bem como na percepção do retorno desse estímulo (eco), o registro é feito através do computador, verificando se a cóclea (parte interna da orelha) está normal, ou seja, em funcionamento, é emitido um gráfico com o diagnóstico do exame. 

Como é dado o resultado? 

Após o final do exame, além do resultado, é passado para o responsável e para o médico que solicitou o exame, um protocolo de avaliação. No caso de suspeita de alguma anormalidade após a realização da triagem auditiva neonatal, o bebê será encaminhado para uma avaliação otológica e audiológica completa. 

Com o objetivo de ajudar a prevenir a deficiência auditiva, seguem abaixo alguns fatores que levam à surdez: 



Fonte: http://www.brasilescola.com/fonoaudiologia/a-importancia-teste-orelhinha-nos-bebes-recemnascidos.htm
http://www.feneis.com.br/page/orelhinha_bebe28.asp